Atualmente a Indústria de Alimentos tornou-se um importante setor da atividade econômica, o alimento processado é mais prático e como conseqüência muitos aditivos químicos se fazem necessários para manter o produto com a aparência, textura, cor, sabor, aceitáveis pelo consumidor, além de ganharem maior vida de exposição nas prateleiras dos supermercados.

Nossa alimentação muito afastada das leis da Natureza, aceita esses alimentos quase que “plastificados” de tão antinaturais. Agrotóxicos, transgênicos, irradiações, promotores de crescimento e aditivos químicos dos industrializados comprometem a nossa saúde e do meio ambiente e com certeza, a alimentação infantil é a mais afetada.

Quero propor uma leitura mais atenta aos ingredientes dos rótulos dos alimentos industrializados que são oferecidos as crianças. A quantidade de aditivos químicos é impressionante e não precisa ser nenhum nutricionista ou médico para saber que isso não deve fazer bem á saúde e ao desenvolvimento das crianças, além de poder propiciar o aparecimento de alergias.

As crianças são mais abertas às mudanças que nós adultos, uma boa conversa explicando que essas coisas com nomes esquisitos e números fazem mal para nós e que podemos ter coisas mais gostosas feitas de forma caseira, vai pelo menos despertar a curiosidade para os novos sabores que iremos apresentar.

A participação das crianças é essencial para essa mudança. Capriche na receita. No lugar do salgadinho, promova a sessão pipoca de verdade, aquela que pula na panela, faz barulho e tem um cheirinho inconfundível. O “dia da lambança” também não é nada mal, junte seus filhos para fazer brigadeiro, eles podem ajudar a enrolar e passar no granulado. Fazer um bolo, rechear e colocar a cobertura, deixando bem bonito para a hora do lanche, desperta nos pequenos a alegria de ter momentos que fazem toda a diferença.

Bom, claro que a mudança de cardápio tem que ser gradual, eles abrem mão de certas coisas e aos poucos o paladar estranha o sabor do artificial, do maquiado, abrindo espaço para o saudável, cheio de vitaminas e minerais naturais do próprio alimento. Bons exemplos: Frutas, legumes e verduras , grão, oleaginosas, tubérculos, sucos de frutas naturais. E bom apetite!!!

Flávia Gentil
CRN 3081